domingo, 16 de novembro de 2008

você tá bem?

o que precisa pra viver?
o que precisa pra te ver?
eu não preciso de intercâmbios
em lugares estranhos,
eu só preciso guardar a ironia num dos bolsos,
e tirar o/um sentimento do outro bolso.

o que te reprime?
o que te aflinge?
eu não preciso encontrar respostas
em um vocabulário rico,
prefiro o/um olhar,
a simplicidade me toca o ombro.

o que te confunde?
o que te faz hesitar?
eu não preciso te mostrar o/um arsenal,
depois do apito o jogo começa,
a incerteza nos rodeia,
espero te aplaudir de pé.

e se for preciso viver
entre o corte da espada
e o perfume da rosa,
vivamos!

encontrar respostas
nas enciclopedias da vida
para o que te reprime,
poderia ser uma boa!

e se a confusão,
te reprimir,
te impedindo assim,
de viver,
use todo o seu sentimento
num simples olhar, suspirante..
as ideias postas nos devidos lugares..
é só aplaudir a resolução.


Badengarden

3 comentários:

Daniel Abreu disse...

Me permita mias uma vez usar dos teus versos. Você sempre fala tudo.

Vanessa disse...

Então palmas!!!!

plac, plac...

=)

lorelouka disse...

"Encontrar respostas nas enciclopédias" ai seria tudo fácil demais, se bem que sempre teríamos prazer em buscar respostas, ficaríamos cada vez mais agradecidos e, de algum modo melhores , com uma visão mais simples e com uma fé mais profunda na vida e tbm seriamos mais afortunados , mas e aquele velho :'Aprender com a vida' ? se tornaria com a enciclopédia ? não não não mesmo sihishihsh
Eu prefiro a vida complicada e imprescindível sem nunca sabermos o que de fato vai acontecer e porque tudo acontece, viver numa eterna constancia de mudanças que não sabemos explicar!

-
O acaso se explica? claro que não ou claro que sim?
coincidência, destino? o que será?
o que é o amor ? nós queremos mesmo ser felizes? o que fazemos para isso?
Eu não sei. você sabe?
Se tem uma coisa que eu tenho certeza, é que nós somos responsáveis pela nossa vida e só nós mesmos podemos dar uma direção a ela.
ou seja: viva, viva e viva... você diz o que será da sua vida e não a suposta enciclopédia!
(L)